top of page
Patreon | Torne-se um Patrono
Seja um Patrono Livros Vikings

A vida social e o papel das mulheres na Era Viking

Atualizado: 17 de jan. de 2023

Os escandinavos da Era Viking moravam em famílias compostas por pais, filhos, avôs e avós. Quando o filho mais velho assumia a propriedade, ele se tornava o chefe da família e se responsabiliza pelo bem-estar de todos.


A vida social e o papel das mulheres na Era Viking
O cotidiano das mulheres da Era Viking. — Crédito da Imagem: History Extra

Indice:


Ele tinha que fornecer comida para sua esposa e família, sendo responsável pela casa tinha também que fazer manteiga e queijo, secar e defumar peixe e preparar comida suficiente para todos durante o longo e escuro inverno. Além disso, também era esperado que ele conhecesse fitoterapia para preparar remédios aos doentes e feridos. A responsabilidade pelos animais domésticos e pecuários caia toda sobre os seus ombros.

Publique seu livro pela Livros Vikings Editora

No entanto, se fizesse viagens comerciais, caçasse ou viajasse com os vikings (destinados a desaparecer por muito tempo), sua esposa quem se encarregava de quase tudo na casa e administrava toda a fazenda. As mulheres eram elogiadas por suas excelentes habilidades domésticas e artísticas. Eram elas cuidavam de todas as terras e propriedades agrícolas.


Na ausência ou na morte do marido, as mulheres — inclusive rainhas — assumiam o controle dos ‘negócios’, propriedades e até dos reinos, elas tinham direito ao divórcio, propriedade e a guarda dos filhos. Leia o artigo “A igualdade de gênero na Era Viking pode ter definido o sucesso da Escandinávia moderna” para aprender sobre o assunto.


Casamento

Do pouco que se sabe sobre os rituais de casamento viking, certos mitos e tradições oriundos da Era Viking iluminam o assunto. Normalmente um casamento era uma festa com parentes e amigos que durava vários dias.


Leia também o artigo “Como realmente eram os casamentos vikings” para saber mais sobre o tema.


Meninos e meninas se casavam muito cedo. As meninas geralmente tinham entre 12 e 15 anos. Na época do casamento, essas meninas geralmente ainda eram crianças, mas aprendiam com suas mães e avós como administrar adequadamente a casa, cozinhando, limpando, preparando comida, fiando, tecendo e costurando. As meninas também aprendiam a cultivar e cuidar dos animais, pois era de suas responsabilidades administrar as fazendas, quando os seus maridos estavam fora.


Os casamentos eram planejados por parentes e vistos como um acordo para fornecer assistência e proteção mútuas. A lei não exigia o consentimento da mulher e a própria noiva pouco tinha a dizer sobre o assunto. No entanto, de acordo com antigas tradições orais, os pais costumavam discutir isso com as suas filhas.


O dote de uma mulher era sua propriedade

A noiva trazia linho e lã, um tear e a roupa de cama como parte de seu dote. A mulheres de famílias ricas também podiam levar joias de prata e ouro, animais de estimação e até gado como parte do dote.


Leia o artigo "Mulheres vikings: a origem de seu tremendo poder" e entenda melhor a importância da mulher na Era Viking.


Tudo o que elas traziam para o casamento continuava sendo de sua propriedade e era repassado como herança para os filhos.


O divórcio às vezes era necessário

Aprenda sobre os vikings, lendo uma das obras da Livraria Especializada Livros Vikings

De acordo com a tradição da Era Viking, uma mulher ao longo de sua vida continuava a fazer parte de sua família e, portanto, nunca totalmente do marido.


Se um marido maltratasse a mulher ou os filhos, fosse preguiçoso demais para sustentá-los ou os ofendesse, ela poderia se divorciar dele. As mulheres sempre tiveram o direito de se divorciarem se assim o desejassem.


Para realizar o divórcio, a mulher só precisa chamar várias pessoas que pudessem servir de testemunhas. Primeiro se reuniram na porta da casa dela, depois na cama do casal e, por fim, ela se declarava divorciada do marido. Se uma mulher deixasse o marido sem motivo válido, o marido poderia ficar com as propriedades dela.


Crianças Protegidas pela Lei

Bebês e crianças pequenas viveriam automaticamente com as suas mães em caso de divórcio. Por outro lado, os filhos mais velhos eram geralmente divididos entre os pais, de acordo com a riqueza e o status de cada família.


Nas famílias da Era Viking, as crianças eram protegidas por lei, o que lhes garantia o direito de receber uma herança mesmo após o divórcio dos pais.


Nem todos eram ricos

Em plantações menores, a divisão do trabalho entre as mulheres e os homens não era tão clara. Possivelmente o casal não teria ajudantes, portanto, todos os membros da família deveriam fazer o possível à sobrevivência de sua família, no clima frio dos países nórdicos.


Ouça o episódio do Viking Cast sobre o Papel das Mulheres na Era Viking para saber mais sobre o assunto:



FONTE: National Geographic Indonesia

Fadhilah, Hanny Nur. Kehidupan Sosial Bangsa Viking, Perempuan Menikah Umur 12 Tahun. National Geographic Indonesia. Jacarta, 11 de dez. de 2022. Disponível em: <https://nationalgeographic.grid.id/read/133609239/kehidupan-sosial-bangsa-viking-perempuan-menikah-umur-12-tahun>. Acesso em: 16 de dez. de 2022. (Livremente traduzido e adaptado pela Livros Vikings).


Seja uma das primeiras pessoas a receber as novidades do Mundo Viking, assinando a nossa Newsletter ou adicionando-nos em seu WhatsApp... Siga-nos nas Redes Sociais.


Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Livros Vikings na Google News
bottom of page