top of page
Patreon | Torne-se um Patrono
Seja um Patrono Livros Vikings

A suposta exploração “viking” de Vínland

Seriam os vikings os pioneiros da produção de vinho nas Américas? Há evidências arqueológicas que validem esta hipótese? O que era Vínland?


A famigerada exploração “viking” de Vínland
Reconstrução de estruturas Viking L’Anse aux Meadows - Crédito da imagem: Richard Droker - CC BY-NC-ND 2.0

Indice


Esses navegadores nórdicos, conhecidos por suas habilidades nos mares, exploravam novas terras muito antes da Europa medieval ter conhecimento da existência do continente americano.



A origem de Vínland

Vínland, nome dado pelos nórdicos à região que teriam explorado na América por volta do ano 1000 d.C. é também conhecida como a "Terra do Vinho", devido à abundância de vinhas encontradas na localidade. Leif Erikson, filho de Erik, o Vermelho — "fundador" do primeiro assentamento nórdico da Groenlândia —, é considerado o primeiro europeu a pisar em solo americano.


As sagas islandesas do Século XIII, conhecidas como as "Sagas da Vinlândia" — Saga dos Groenlandeses e Saga de Erik, o Vermelho —, relatam as possíveis viagens dos vikings à América, embora não sejam relatos históricos precisos, eles preservam parte da tradição oral e sugerem que os vikings exploraram e povoaram Vínland.


A importância do vinho

O vinho desempenhava um papel importante no final da era viking, possuindo significados políticos e religiosos para os nórdicos cristãos. Além de ser uma bebida festiva, o vinho importado da Alemanha ou da França era altamente valorizado por suas qualidades embriagantes e por sua associação com o divino.



Vale ressaltar que o "vinho" nórdico da época não se limitava às uvas, sendo também feito de outras frutas, como maçãs, morangos e mirtilos. Por isso, é compreensível que Leif Erikson tenha nomeado a nova terra descoberta como Vínland devido à abundância de frutas na região.


Vínland além do vinho

Vínland oferecia recursos valiosos para os vikings, como caça, pesca, frutas, peles, ferro e madeira. Acredita-se que eles exploravam e coletavam esses recursos para levá-los à Groenlândia e à Islândia.


As expedições vikings para Vínland duravam entre um e três anos, e o comércio e a busca por recursos desempenhavam um papel significativo nessas viagens. A Saga dos Groenlandeses relata que Thorfinn Karlsefni liderou uma expedição particularmente rica da Groenlândia para Vínland, destacando a importância econômica dessas viagens.


O fim da exploração

Apesar dos recursos valiosos e do potencial vinícola de Vínland, o assentamento de L'Anse aux Meadows foi abandonado abruptamente, provavelmente devido à falta de população na Groenlândia para sustentar dois assentamentos tão distantes e às dificuldades logísticas e distância entre os dois locais.

 

Estudos do tipo arquitetônico, de artefatos e a datação por carbono sugerem que os vikings se estabeleceram em L'Anse aux Meadows por volta de 990-1050 d.C. Os arqueólogos acreditam que o assentamento serviu como base exploratória e acampamento de inverno, com atividades industriais para a produção de ferro e de marcenaria, provavelmente utilizadas para o conserto de navios. Neste sentido, L'Anse aux Meadows não era Vínland, que potencialmente ficava em uma área maior que se estendia do sul de L'Anse aux Meadows até o rio St. Lawrence e New Brunswick.


 
Reconstrução de estruturas Viking L’Anse aux Meadows - Crédito da imagem: Richard Droker - CC BY-NC-ND 2.0
Reconstrução de estruturas Viking L’Anse aux Meadows - Crédito da imagem: Richard Droker - CC BY-NC-ND 2.0

No entanto, uma teoria recente apresentada pelo arqueólogo Leif Gren sugere que uma mudança na cosmovisão europeia também pode ter contribuído para o abandono da colonização e navegação nórdica em direção ao Oeste.


A visão cosmológica nórdica, baseada em uma concepção horizontal do mundo, entrou em conflito com a nova mentalidade espacial e cartográfica verticalizada que surgiu no Século XI. Essa mudança dificultou a concepção de terras desconhecidas como Vínland e as ilhas atlânticas.


Embora não haja evidências diretas da produção de vinho em Vínland, as descobertas arqueológicas e as sagas islandesas sugerem fortemente que os vikings estiveram presentes na América muito antes de Colombo.


Considerações finais

A história dos vikings continua a surpreender e revelar novos insights sobre a exploração e colonização do continente americano. As influências da cosmologia nórdica na expansão dos vikings e o potencial pioneirismo na produção de vinho nas Américas são aspectos fascinantes para os estudiosos e entusiastas da história.


Essas descobertas convidam a repensar as narrativas tradicionais e explorar a rica interação entre as culturas nórdicas e europeias cristãs. A história de Vínland e dos vikings nos lembra da complexidade e das múltiplas conexões que as sociedades criam ao longo do tempo.


A Escandinávia oferece inúmeras possibilidades para pesquisas futuras, revelando segredos que continuam a enriquecer nossa compreensão do passado medieval.


Referências

GRIZZO, Arnaldo. Os vikings e a Terra do Vinho. Revista Adega. São Paulo, 06 de jul. de 2023. Disponível em: <https://revistaadega.uol.com.br/artigo/os-vikings-e-a-terra-do-vinho.html>. Acesso em: 07 de jul. de 2023.


LANGER, Johnni. A cosmologia medieval e a navegação nórdica. Núcleo de Estudos Vikings e Escandinavos/NEVE. João Pessoa, 07 de fev. de 2015. Disponível em: <http://neve2012.blogspot.com/2015/02/a-cosmologia-medieval-e-navegacao.html>. Acesso em: 07 de jul. de 2023.


por LIVROS VIKINGS


Seja uma das primeiras pessoas a receber as novidades do Mundo Viking, assinando a nossa Newsletter ou adicionando-nos em seu WhatsApp... Siga-nos nas Redes Sociais.


Comentarios

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
Aún no hay calificaciones

Agrega una calificación
Livros Vikings na Google News
bottom of page