Modelo Design - Escola de Arte
Modelo Design - Escola de Arte

O SÍTIO DAS ORKNEY, ONDE OS PICTOS E OS VIKINGS SE ESTABELECERAM, ESTÁ AMEAÇADO PELA PANDEMIA

Os arqueólogos temem que um sítio arqueológico de 5.500 anos no extremo norte da Escócia, que foi ocupado pelos pictos e pelos vikings, não sobreviva à era Covid.


O sítio das Orkney, onde os pictos e os vikings se estabeleceram, está ameaçado pela pandemia
Uma ilustração do trabalho em metal na ferraria do Século I do sítio Swandro. Imagem: Swandro-Orkney Coastal Archaeology Trust.

A pandemia interrompeu a corrida para salvar os vestígios arqueológicos em Knowe de Swandro, na ilha de Rousay, Orkney, que são consumidos pela alta das marés e pelas tempestades.


Apoie a Livros Vikings

O local contém uma linha do tempo de milhares de anos de história e abriga uma câmara funerária neolítica de 5.500 anos, os restos de uma grande e incomum roundhouse (casa redonda) da Idade do Ferro, uma ferraria e habitações pictas, além de um grande salão nórdico.


O local costeiro foi danificado há muito tempo pelo aumento das marés e pela erosão costeira. Agora os arqueólogos estão "mantendo os dedos cruzados" para que ele ainda esteja lá quando eles retornarem a Rousay, assim que a emergência de saúde diminuir.


A Dra. Julie Bond e o Dr. Stephen Dockrill da Universidade de Bradford, recuperam material de Swandro nos últimos 10 anos, mas com a escavação do ano passado cancelada devido à pandemia e a escavação do próximo verão em cheque, surgem preocupações reais sobre o que restará quando eles voltarem.


O Dr. Dockrill disse: “Todos os anos temos grandes eventos de erosão com tempestades levando o material embora. A outra coisa é a maré diária que sobe e desce, liquefazendo gradativamente o material e os arrastando”.


“Por não estarmos lá, teremos perdido muito material próximo ao mar.”


Áreas do local estão propensas ao colapso à medida que os sedimentos finos que estabilizam as estruturas são arrastados.


O rico local de 5.500 anos em Swandro, na Ilha de Orkney de Rousay na Escócia, que guarda vestígios dos períodos Neolítico, Idade do Ferro, Pictos e Viking, mas que está sob constante ataque de tempestades, marés, e agora, o bloqueio que impede os arqueólogos de retornarem ao local e recuperarem materiais valiosos.

À medida que o material orgânico desaparece, também some a chance de analisar os depósitos deixados no local, como grãos e restos de plantas carbonizadas, que são a chave para a datação por radiocarbono.


Uma prioridade é a escavação de resgate de uma câmara mortuária com uma tumba, que provavelmente conterá os restos mortais do Neolítico, que fica sob uma roundhouse incomum da Idade do Ferro.


Os arqueólogos disseram que o local ofereceu uma "oportunidade importante" para escavar totalmente uma tumba com câmaras do Neolítico, usando técnicas científicas modernas, uma inovação em Orkney.


Aprenda sobre os vikings, lendo uma das obras disponíveis na Livraria Livros Vikings

A grande casa redonda, que agora foi datada de 800 a 400 a.C., também é de particular interesse, visto que é 700 anos mais velha que as construções semelhantes.


O Dr. Dockrill disse: “A roundhouse mostra uma sequência muito diferente do que vimos em outros lugares e seria um acréscimo significativo à nossa compreensão da Idade do Ferro.”


Aqui, foram encontradas evidências de um povoamento de alto status, com trabalho avançad