Modelo Design - Escola de Arte
Modelo Design - Escola de Arte

ARQUEÓLOGOS DESCOBREM JOIAS QUE PERTENCIAM AOS DESCENDENTES RUSSOS DOS VIKINGS (RUS)

No sudoeste da Rússia, um tesouro composto de anéis de prata, pulseiras e pingentes foi enterrado no Século XII e descoberto recentemente por arqueólogos.


Arqueólogos descobrem joias que pertenciam aos descendentes russos dos vikings (rus)
Imagem: Maxim Pankin, Instituto de Arqueologia, RAS

O raro tesouro — que inclui 'anéis com sete raios distintos' que representam o Sol — foi encontrado perto do local da Velha Ryazan, uma das cidades mais antigas da Rússia e local de um sanguinário ataque mongol em 1237 d.C.


Publique seu livro pela Livros Vikings Editora

Era comum que os cidadãos russos mais ricos escondessem os seus tesouros de possíveis invasores mongóis, afirmam os pesquisadores, mas esse tesouro de 32 peças foi guardado mais de 100 anos antes dos mongóis atacarem.


Os arqueólogos da Academia Russa de Ciências e do Museu-Reserva Histórico e Arquitetônico de Ryazan esperam descobrir o porquê de tal butim valioso, apelidado de 'tesouro Isad', ter sido escondido sem uma iminente ameaça de ataque.


"Os estudos adicionais dos itens do tesouro, a sua técnica de fabricação e a composição do metal irão complementar o nosso conhecimento sobre a história da Velha Ryazan", disse o pesquisador da RAS Alexander Morozov em uma declaração à Academia Russa de Ciências.


'Possivelmente revelará o contexto histórico da ocultação do tesouro.'


Os pesquisadores dizem que os itens são muito bem-feitos, típicos dos tradicionais trajes femininos usados ​​pelas finlandesas do Volga, um antigo grupo de pessoas que vivia na Rússia.


Introduzidos no extremo Oriente, os anéis de sete raios tornaram-se uma característica distintiva da joalheria russa do início da Idade Média.


Algumas das pulseiras têm três tranças de prata com cruzes em relevo e folhas de palmeira — o seu estilo e técnica também apontam para os Séculos X e XI.


Um cocar desintegrado também foi descoberto, com os restos de contas em espiral 'e vários apêndices'.


O tesouro, descoberto onde hoje é a região russa de Suzdal Opolye, também incluía oito 'grivnas' — pingentes de seis lados feitos de metais preciosos que eram usados ​​ao redor do pescoço.


Por causa de seu tamanho e peso — cerca de 4,6 libras (2,8 kg) — os grivnas também podiam ser usados ​​como moeda ou medida de peso padrão na Rússia medieval. Na verdade, eles deram nome à moeda ucraniana moderna.


Os arqueólogos também encontraram uma tigela de metal com a alça em forma de laço — um item incomum para a região, cuja origem ainda não foi definitivamente deduzida.


'No momento, só podemos presumir que é uma importação do Oriente Médio que acabou no Leste Europeu muito antes de ser escondido no solo', disse o comunicado.


Outros tesouros escondidos durante e pouco antes do cerco de 1237 já haviam sido descobertos na velha Ryazan: o famoso tesouro Ryazan Barmy — que inclui um colar de coroação de um príncipe Rus e que hoje está alojado no Kremlin — foi acidentalmente descoberto em 1822.


Estude na Modelo Design - Escola de Arte

Arqueólogos dizem que este tesouro foi enterrado em uma área florestal na curva do rio Oka, um grande afluente do Volga, cerca de 100 anos antes daquele ataque mortal.


O saque na Velha Ryazan foi tão completo quanto cruel, sem sobreviventes e com quase 100 cabeças decepadas, as quais foram descobertas por arqueólogos, relatou à Live Science .


A cerca de 140 milhas (aproximadamente 225 km) de Moscou, a Velha Ryazan ficava mais ao leste do que os outros principados Rus e foi a primeira a cair nas mãos do neto de Genghis Khan, Batu Khan.


Conhecidas como a Horda de Ouro, as forças de Khan subjugaram grande parte dos Rus e de seus sucessores, governando o centro e o sul da Rússia por décadas.


Mais de uma dúzia de tesouros escondidos no cerco da Velha Ryazan foram descobertos desde o Século XIX. No entanto, esse tesouro é atípico. A equipe da RAS datou-o do final do Século XI ou início do Século XII, com base na análise das joias e das cerâmicas próximas.


'A aparência dos objetos do Isad nos permite atribuir o tempo de sua ocultação ao início da história da Velha Ryazan, a qual ainda existem muitos pontos em branco', disse Igor Strikalov do Instituto de Arqueologia da RAS.


'O tesouro Isad é claramente mais antigo que o tesouro Ryazan e inclui outros tipos de ornamentos feitos com uma técnica mais simples e arcaica.'


FONTE: Daily Mail