top of page
Patreon | Torne-se um Patrono
Seja um Patrono Livros Vikings

A reconstrução digital do Navio Viking de Gjellestad: um marco arqueológico

Especialistas revolucionam a arqueologia com a reconstrução digital e o Navio Viking de Gjellestad será uma dessas releituras.


A reconstrução digital do Navio Viking de Gjellestad: um marco arqueológico
A parte do navio que foi preservada media um pouco mais de 19 metros de comprimento e um pouco mais de quatro metros de largura. — Crédito da Imagem: Museu de História Cultural

A reconstrução digital do Navio Viking de Gjellestad está prestes a se tornar um marco na arqueologia viking.


Realize o seu sonho e publique seu livro pela Livros Vikings Editora.


Este projeto inovador está revolucionando a compreensão das tradições de construção naval dessa cultura lendária. A escavação do navio, concluída em 2021, foi um evento notável, sendo a primeira do tipo na Noruega em mais de um século.


Quando a escavação foi concluída, os arqueólogos ficaram com cerca de 8.000 descobertas e fragmentos. — Crédito da Imagem: Museu de História
Quando a escavação foi concluída, os arqueólogos ficaram com cerca de 8.000 descobertas e fragmentos. — Crédito da Imagem: Museu de História

A digitalização minuciosa de aproximadamente 1.400 rebites, removidos do navio Viking, é parte fundamental desse avanço. Os rebites desempenham um papel crucial na revelação dos segredos da estrutura da embarcação.



Christian Løchsen Rødsrud, arqueólogo do Museu de História Cultural e líder do projeto em Gjellestad, destaca a importância deste feito:


Esta conquista não é apenas significativa na Noruega, mas também em toda a Escandinávia, onde a tecnologia de construção naval Viking era difundida.

A reconstrução digital do Navio Viking de Gjellestad promete oferecer um conhecimento único e amplo sobre as tradições de construção naval da Era Viking.


A equipe utiliza a tomografia computadorizada (CT) para examinar detalhadamente os rebites, uma das peças-chave do quebra-cabeça Viking.


Combinada com outras documentações digitais obtidas durante a escavação, espera-se que a equipe possa criar uma reconstrução digital quase precisa do Navio Viking e segundo afirma Rødsrud:


Estamos digitalizando, em média, nove rebites por dia, então isso levará algum tempo. Mas provavelmente teremos um modelo completo do navio dentro do próximo ano.

Foi motivo de comemoração quando os arqueólogos conseguiram extrair partes da quilha do navio. — Crédito da Imagem: Museu de História
Foi motivo de comemoração quando os arqueólogos conseguiram extrair partes da quilha do navio. — Crédito da Imagem: Museu de História

Os rebites estão em avançado estado de decomposição e ainda estão incorporados em blocos de solo retirados do navio.


No entanto, esses blocos foram preservados com um agente de consolidação à base de silicato, o que mantém o solo e os rebites juntos.


Isso permite que os rebites sejam manuseados e, eventualmente, substituídos em sua posição original, como parte dos planos para a construção de um centro de visitantes em Gjellestad.



Infelizmente, grande parte da madeira do navio não foi preservada devido a mais de um século de atividade agrícola moderna na região, juntamente com a criação de um canal de drenagem que baixou o lençol freático, acelerando o processo de decomposição pela exposição ao oxigênio.


Ainda assim, houve motivo para comemoração quando os arqueólogos conseguiram extrair partes da quilha do navio.


Mesmo estando muito deteriorada, os conservadores estão trabalhando arduamente para preservá-la da melhor maneira possível.


Atualmente, a quilha encontra-se em um banho de água com polietileno glicol (PEG), uma cera solúvel em água.


Neste sentido, Ruben With, conservador do Museu de História Cultural, informou:


Quando ela absorver uma quantidade suficiente da solução e for submetida a uma secagem por congelamento, poderemos exibi-la, se desejarmos. No entanto, levará mais um ano ou dois até que ela esteja pronta para a exposição.

Quanto à datação do local de Gjellestad, os especialistas acreditam que o túmulo remonta a cerca de 800-850 d.C., mas existe a possibilidade de que possa ser datado até mesmo a 780 d.C., com base em algumas das contas encontradas no túmulo que começaram a circular na Escandinávia por volta desse período.


A reconstrução digital do Navio Viking de Gjellestad está lançando uma nova luz sobre a cultura e a tecnologia Viking. Este projeto visionário é um marco na arqueologia Viking que irá inspirar entusiastas e estudiosos dessa época fascinante.


Para mais notícias sobre achados arqueológicos e história, continue acompanhando a Livros Vikings. Somos um site dedicado a trazer informações históricas e curiosidades sobre a Era Viking. Se você gostou deste artigo, compartilhe-o em suas redes sociais!


FONTE: Science Norway

WAMMER, M. P. A digital reconstruction of the Gjellestad Viking ship will be complete within the next year. Oslo, 26 de set. de 2023. Disponível em: <https://partner.sciencenorway.no/archaeology-society-and-culture-university-of-oslo/a-digital-reconstruction-of-the-gjellestad-viking-ship-will-be-complete-within-the-next-year/2254175>. Acesso em: 27 de set. de 2023. (Livremente adaptado pela Livros Vikings)


Seja uma das primeiras pessoas a receber as novidades do Mundo Viking, assinando a nossa Newsletter ou adicionando-nos em seu WhatsApp...


Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Livros Vikings na Google News
bottom of page