top of page
Patreon | Torne-se um Patrono
Seja um Patrono Livros Vikings

Segundo estudo, os escudos 'cerimoniais' vikings eram utilizados também em batalha

Os escudos vikings encontrados no navio Gokstad em 1880 não eram estritamente cerimoniais e podem ter sido usados ​​em combate, de acordo com uma nova análise.


Segundo estudo, os escudos 'cerimoniais' vikings eram utilizados também em batalha
Uma réplica do Navio Viking Gokstad, fotografado em Kent, Inglaterra, em 1949. O navio real foi enterrado com escudos, que um novo estudo sugere que foram usados também em combate. (Crédito da imagem: Keystone/FPG/Archive Photos/Getty Images)

Dezenas de escudos vikings de um famoso navio funerário desenterrado na Noruega não eram estritamente cerimoniais como se pensava; em vez disso, eles podem ter protegido guerreiros em batalha.


Uma reanálise dos escudos de madeira, que foram desenterrados no navio Gokstad no sul da Noruega em 1880, sugere que eles eram cobertos com couro cru (pele de gado não curtida) e usados ​​em combate corpo a corpo, de acordo com a epesquisa publicada. em 24 de março na revista Arms and Armour.


Realize o seu sonho e publique sua obra pela Livros Vikings Editora.


Segundo o autor do estudo Rolf Warming, um doutorando em arqueologia da Universidade de Estocolmo:


Os escudos [Gokstad] estão de acordo com a nossa compreensão de escudos usados ​​em combate [...] O artesanato faz parte da tradição do escudo germânico plano e redondo, que é uma tecnologia armamentista muito difundida na Escandinávia, especialmente entre o início do Século III e o final do Século XIII.

Um desenho de um escudo reconstruído do navio Gokstad, adaptado do relatório original descoberta de 1882. (Crédito da imagem: Nicolaysen et al, 1882)
Um desenho de um escudo reconstruído do navio Gokstad, adaptado do relatório original descoberta de 1882. (Crédito da imagem: Nicolaysen et al, 1882)

Um total de 64 escudos — possivelmente um para cada tripulante do navio — foram amarrados ao longo da borda superior do casco do navio, logo acima dos orifícios dos remos.


A embarcação já foi usada no mar, provavelmente para uma batalha, comércio ou transporte. Mas, por volta de 900 d.C., foi arrastada para a terra e usada no enterro de um Rei Viking.


Escudos Vikings

A reanálise de Warming mostra que os escudos consistiam em tábuas ou pranchas de madeira cônicas em torno de um hemisfério de ferro conhecido como saliência (boça) de um lado e uma alça de madeira do outro. Isso tornava os escudos leves e fáceis de manobrar.


Aprenda sobre os vikings, lendo uma das obras da Livraria Especializada Livros Vikings.


As pranchas de cada escudo eram pintadas de amarelo ou preto (ou próximo), dando aos escudos sobrepostos a aparência de luas crescentes amarelas e pretas.


No passado, os arqueólogos sugeriram que esses escudos tinham apenas uma função cerimonial. Porém, Warming tem evidências de que os escudos foram originalmente cobertos com uma fina camada de pele de animal para reforçar as suas tábuas e bordas. Ainda segundo o doutorando:


Fileiras de perfurações na placa do escudo (indicadas aqui em amarelo) sugerem que elas já foram cobertas com uma camada de reforço de pele de animal. (Crédito da imagem: R. Warming/Society for Combat Archaeology)
Fileiras de perfurações na placa do escudo (indicadas aqui em amarelo) sugerem que elas já foram cobertas com uma camada de reforço de pele de animal. (Crédito da imagem: R. Warming/Society for Combat Archaeology)
Existem fragmentos de uma camada orgânica no topo das placas do escudo que podem ser remanescentes, mas que ainda precisam ser analisados [...] No entanto, há evidências indiretas como furos de costura e uma borda chanfrada [inclinada] que indicam que as placas foram construídas para acomodar uma camada protetora de algum tipo.

Isso fortalece a ideia de que os escudos Gokstad eram para uso em combate e não apenas para decoração, conforme avaliou Warming:


Eles provavelmente são melhores interpretados como equipamentos pertencentes ao navio e usados ​​pela tripulação a bordo, seja no mar ou em terra.

Invasores vindos do mar

Como seria o navio Gokstad na água, em um desenho do relatório da descoberta original de 1882. Os escudos pintados de amarelo e preto podem ser vistos em uma fileira ao longo do topo do casco. (Crédito da imagem: Harry Schøyen/Nicolaysen et al, 1882)
Como seria o navio Gokstad na água, em um desenho do relatório da descoberta original de 1882. Os escudos pintados de amarelo e preto podem ser vistos em uma fileira ao longo do topo do casco. (Crédito da imagem: Harry Schøyen/Nicolaysen et al, 1882)

Navios como o de Gokstad eram cruciais para os vikings —nome derivado de um termo para invasores nórdicos usado pelos ingleses atacados.


Embora nem todos os nórdicos fossem vikings, as incursões por tesouros e escravos se estabeleceram na Escandinávia após o Século VIII, até os nórdicos se converterem ao cristianismo a partir do Século X.


Os navios vikings tinham velas quadradas; contudo eles também eram equipados com remos, podendo navegar através de ventos fortes ou por rios. Esses barcos também tinham cascos rasos e leves construídos em clínquer, para que os vikings pudessem se aproximar da terra e puxar seus barcos para a costa, quando necessário.


Fragmentos de ferro dos escudos encontrados no local do Navio Gokstad. (Crédito da imagem: Vegard Vike/Museu de História Cultural, Universidade de Oslo)
Fragmentos de ferro dos escudos encontrados no local do Navio Gokstad. (Crédito da imagem: Vegard Vike/Museu de História Cultural, Universidade de Oslo)

Warming acha que os escudos do Navio Gokstad serviam como uma “armadura” extra, ou como uma "demonstração de força" em tais situações; e que os vikings poderiam desamarrá-los do casco para enfrentarem um combate corpo a corpo.


Não há evidências diretas de que eles foram usados ​​em batalha, tal qual corroborou o pesquisador:


Alguns entalhes e marcas irregulares foram observados nas saliências do escudo [...] Eles precisam ser submetidos a análises cuidadosas de uso e desgaste que poderão indicar se os escudos foram usados ​​em combate.

Warming acrescentou que os escudos eram um elemento importante do combate corpo a corpo, mas muitas vezes esquecidos pelos pesquisadores:


Os escudos podem nos dizer muito sobre o movimento corporal e, portanto, das técnicas e táticas de combate, por isso é importante documentá-los em detalhes.

John Bill, curador da Coleção de Navios Vikings do Museu de História Cultural da Universidade de Oslo, que não esteve envolvido no estudo, todavia realiza uma pesquisa separada sobre os escudos, chamou o trabalho de Warming de "interessante e bem argumentado":


Isso levanta uma questão relevante que também foi levantada por outros” [...] "A verdade sobre os escudos de Gokstad provavelmente é complexa e mais pesquisas interdisciplinares são necessárias para esclarecê-la.

FONTE: Live Science

METCALFE, Tom. 1,100-year-old 'ceremonial' Viking shields were actually used in battle, study suggests. Live Science. Londres, 04 de abr. de 2023. Disponível em: <https://www.livescience.com/1100-year-old-ceremonial-viking-shields-were-actually-used-in-battle-study-suggests>. Acesso em: 12 de abr. de 2023. (Livremente traduzido e adaptado pela Livros Vikings)


Seja uma das primeiras pessoas a receber as novidades do Mundo Viking, assinando a nossa Newsletter ou adicionando-nos em seu WhatsApp... Siga-nos nas Redes Sociais.


Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Livros Vikings na Google News
bottom of page