Modelo Design - Escola de Arte
Modelo Design - Escola de Arte

NORUEGUÊS DA FLORESTA, O GATO DOS VIKINGS

Um dos muitos benefícios de viajar é descobrir o que outros países têm a oferecer. Às vezes é um prato saboroso, ou alguma música étnica mística que cativa os ouvidos. Mas, em alguns casos, encontramos um lindo animal, único em sua região do mundo.


Norueguês da Floresta, o gato dos vikings

Um exemplo é o gato Norueguês da Floresta, trazido da fria Escandinávia à América. O nome original da raça, "skogkatt", significa literalmente "gato da floresta". A aparência majestosa chama a atenção instantaneamente, com sua pelagem espessa, cores vivas e, não menos importante, sua impressionante personalidade.


Um breve resgate histórico

Esses bichos peludos são uma parte significativa do folclore norueguês. Além de aparecerem em vários mitos e contos, eles também eram “empregados” dos vikings durante as expedições. Você se pergunta, como os gatos ajudariam esses conquistadores lendários? Eles eram “mousers”, ou exterminadores de ratos/roedores. Os camundongos, por exemplo, eram um incômodo para os navios naquela época, então os vikings tiveram que agir — e os gatos cumpriram a missão.


Publique seu livro pela Livros Vikings Editora

Quanto a como esses gatos apareceram pela primeira vez na América, é muito provável que durante alguma expedição viking, talvez sob a liderança do próprio Leif Erikson, eles chegaram ao novo mundo. Os historiadores concordam que isso aconteceu em algum momento do final do Século X. Os “Wegies”, como seus donos os chamam carinhosamente, rapidamente atraíram seguidores devotos na comunidade felina.


Esta raça também passou por momentos difíceis; por um tempo, eles quase perderam o seu status de “autêntico” — seu pedigree —, como resultado do acasalamento entre raças selvagens e domésticas na Noruega. Ainda assim, os amantes de gatos se recusaram a ver essa espécie desaparecer para sempre. Alguns eventos no Século XX, como a Segunda Guerra Mundial, abrandou seus esforços, mas depois da guerra, os Wegies viram o seu auge, tornando-se na década de 1950, o gato oficial da Noruega.


Mais tarde, a Europa o incluiu entre as suas raças oficiais e ele se tornou uma espécie de celebridade na América também, especialmente nas décadas posteriores. Embora emita a vibração de um gato da montanha à primeira vista, você ficará surpreso com o quão manso e fofinho ele pode ser.


Visual imponente

Em termos de tamanho, o Norueguês da Floresta é bastante grande; as pessoas às vezes o comparam ao Maine Coon por esse motivo. Eles também compartilham alguns pelos compridos e exuberantes. Quando você coloca seus olhos neles pela primeira vez, você perceberá o porquê dos vikings os escolherem para serem seus “companheiros de guerra”: eles têm um olhar penetrante e direto, sendo ferozmente leais.


Os Wegies levam tempo para amadurecer completamente. Isso geralmente acontece por volta do quinto ano. Depois de se tornarem adultos, podem atingir mais de 20 kg. Se você espera ver um gato tímido, vá em frente: essa raça tem a dignidade de um leão, embora seja muito mais amigável.


Leio online o Universo Anomalia...

Por sua constituição e pelagem, você pode notar imediatamente como o Wegie conseguiu sobreviver aos invernos rigorosos da floresta norueguesa. É robusto, musculoso, com pernas e cauda grandes e espessas. É interessante ter a impressão de ver, ao mesmo tempo, uma bola de pelos fofa e um guerreiro poderoso.


Devido às suas estruturas faciais: pescoço curto, cabeça proporcional e orelhas com pontas arredondadas, eles têm uma espécie de olhar determinado, denotando inteligência e proeminência. Graças aos seus dias vikings, o seu estado de alerta é algo digno de se ver.


A cor dos olhos, na maioria dos casos, depende da região do Norueguês da Floresta. Grandes e muito expressivos, geralmente variam entre o dourado e o verde, com todas as tonalidades intermediárias. Alguns gatos de pelo branco têm olhos azuis ou cores diferentes.


Finalmente, a característica mais impressionante — o “casaco”. A dupla camada protege contra o frio mais severo, com pelos longos e densos do lado de fora e subpelo espesso. Você pode imaginar facilmente este majestoso felino caminhando com suas patas tufadas sobre a neve, e sem pestanejar. Eles têm todos os tipos de padrões e cores —tabby (marrom e branco), branco ou preto como a noite. No entanto, eles são instantaneamente reconhecíveis, fáceis de discernir.



Hábitos alimentares

Já dissemos que esta raça é maior do que a média dos gatos. Os Wegies naturalmente crescem em proporções maiores; porém, você nunca deve superalimentá-los a ponto de causar obesidade. Todos nós já vimos aquelas fotos de gatos com sobrepeso espalhados pela casa e, embora seja engraçado por um segundo, pode representar sérios riscos à saúde desses animais.


Antes de escolher a primeira lata de comida para gatos disponível no supermercado, é bom saber o que é melhor em geral para esta raça. A proteína é sempre uma prioridade, por isso é bom incluir peixe e frango em sua dieta regular.


Outro componente vital é o aminoácido taurina: melhora a digestão, coração, visão, sistema imunológico etc. A taurina por ser uma proteína de origem animal, exige que você forneça carne fresca ao seu gato para que ele atinja as quantidades ideais desta substância.


Uma coisa excelente sobre os Noruegueses da Floresta é que eles são muito conscientes quanto ao que ingerem. Se acharem que você está dando demais, começarão a se mexer para gastar calorias. Ao contrário dos cães, que tendem a comer demais até quase não conseguirem respirar, esses gatos sabem quando parar.


Imponente, inteligente, leal e brincalhão — o Norueguês da Floresta é um belo espécime felino. Você sempre pode assistir no YouTube aos vídeos deles brincando com os seus tutores ou procurar um para brincar pessoalmente. Provavelmente, você vai se apaixonar.


FONTE: The Daily Guardian

WOOLRIDGE, Martin. The Uniqueness of the Norwegian Forest Cat. The Daily Guardian. Iloilo, 01 de set. de 2021. Disponível em: <https://thedailyguardian.net/the-uniqueness-of-the-norwegian-fores