• Livros Vikings

CONHEÇA OS TOP 5 DOS ACHADOS ARQUEOLÓGICOS DA ESCÓCIA EM 2019 — OS VIKINGS ESTÃO PRESENTES

Arqueólogos e voluntários fazem descobertas surpreendentes por toda Escócia a cada ano, e 2019 não foi exceção.


FONTE: The Scotsman

De um bar da Era Viking, ao esqueleto Picto de 1.400 anos — a história da Escócia foi amplamente atualizada mais uma vez pelos arqueólogos que investigam o seu passado.


Dig It!, a organização que promove a arqueologia escocesa, disse que foi um ano rico para quem procura por novos capítulos da história. Aqui, a Dig It! analisa cinco das principais descobertas do ano.


As pedras perdidas de Govan

Em março, uma das lápides medievais perdidas de Govan, um legado de um reino antigo centrado no lado sul de The Clyde, foi descoberta por um estudante de 14 anos em sua primeira escavação.


As pedras foram achadas pela primeira vez no Século IXX, quando 46 desses monumentos esculpidos foram encontrados no cemitério da Igreja Paroquial da Velha Govan, a oeste do centro da cidade de Glasgow.


Hoje, eles são considerados extremamente significativos, um legado único de um reino antigo que teve sua base de poder centrada em Govan.


Um total de 31 pedras foram levadas à guarda da igreja; uma coleção que agora é chamada de 'Govan Stones'.


Até este ano, acreditava-se que muitas das pedras restantes haviam sido perdidas ou destruídas, quando um prédio próximo foi demolido acidentalmente.


Após a descoberta do menino, mais três pedras foram reveladas rapidamente. Outras escavações estão em fase de planejamento para recuperar quaisquer lápides medievais adicionais que possam ter sobrevivido.


2. Primeira ferrovia da Escócia

Em junho, o Waggonway Heritage Group de 1722 desenterrou os restos da primeira ferrovia da Escócia.


Os trilhos originais de madeira da Tranent Cockenzie Waggonway, que antecedem as ferrovias a vapor tradicionais e tem ligações com a Rebelião Jacobita de 1715, foram encontrados um metro abaixo da superfície de uma trilha moderna em East Lothian.


Eles estavam muito deteriorados, mas deixaram marcas e cavidades no chão de ambos os lados. Uma descoberta inesperada; uma pista de cavalos aos pôneis que puxavam os vagões vazios até os poços de carvão em Tranent.


O grupo realizará escavações mais extensas em 2020 com eventos e visitação abertas ao público.


3. "Viking Drinking Hall"

Durante o verão, um grande salão nórdico foi descoberto em Skaill Farmstead, na ilha de Rousay, em Orkney.



Uma equipe de arqueólogos do Instituto de Arqueologia da Universidade das Terras Altas e Ilhas, junto com os residentes e estudantes, estavam escavando o local há vários anos, até descobrirem o salão que provavelmente data do Século X ao século XII d.C.


O prédio de 13 metros de comprimento, apresentava paredes e bancos de pedra em ambos os lados e tem semelhanças com outros salões nórdicos escavados na Escócia.


O nome Skaill, que é uma palavra nórdica para "salão", também sugere que o site foi usado por um líder ou comunidade de alto status. Skaill é a área mencionada na saga Orkneyinga como a casa de um chefe poderoso.


Há muito tempo se acredita que um assentamento nórdico estava localizado em algum lugar de Skaill.


Essa descoberta forneceu outra peça para o quebra-cabeça de 5.000 anos, ao longo deste litoral rico em arqueologia.


4. Pedra Picta recém-descoberta

Em agosto, uma desconhecida pedra Picta esculpida foi encontrada em uma igreja cristã primitiva na área de Dingwall, nas Highlands.


O achado raro, descrito por especialistas como de "importância nacional", foi pensado para ter sido esculpido há cerca de 1.200 anos, embora estivesse no local desde pelo menos a década de 1700, quando foi reutilizado como um marcador grave.


É provável que tivesse originalmente mais de dois metros de altura e estivesse decorado com várias criaturas míticas, incluindo duas bestas maciças, que os especialistas descreveram como sendo "diferentes de qualquer coisa e de qualquer outra pedra pictórica".


É uma das 50 lajes cruzadas Pictas completas ou quase completas conhecidas no mundo, e a primeira a ser descoberta no continente escocês em muitos anos.


A pedra foi encontrada por um membro da Sociedade Arqueológica do Norte da Escócia, que agora trabalha com a Pictish Arts Society para arrecadar dinheiro para limpar, conservar e depois exibir a pedra no Museu Dingwall.


5. Esqueleto pictórico de 1.400 anos

Os restos preservados de um esqueleto com cerca de 1.400 anos foram descobertos por arqueólogos em setembro.


A descoberta foi feita na Ilha Negra, nas Terras Altas da Escócia, como parte do projeto Tarradale Through Time, no último dia da escavação de um grande cemitério Picto.


Embora vários cemitérios pictos tenham sido descobertos no norte da Escócia nos últimos 30 ou 40 anos, apenas um punhado foi escavado e os corpos raramente sobrevivem devido à acidez do solo.


Se os dentes sobreviverem, a análise do esmalte pode dizer muito sobre onde a pessoa cresceu e que tipo de dieta desfrutou.


O Dr. Jeff Sanders, gerente de projetos da Dig It!, comemorou as descobertas arqueológicas "surpreendentes" do ano.


Ele disse: “Arqueologia tem tudo a ver com descobrir histórias e novos capítulos são adicionados à história da Escócia todos os anos. Estas são apenas algumas das descobertas surpreendentes que foram desenterradas em 2019, como outras descobertas emocionantes, que vão desde um pendente de dente a um selo de 2.500 anos, trilhos etc.


"Já estamos ansiosos para adicionar mais páginas em 2020".


Amy Eastwood, chefe de subsídios do Historic Environment Scotland, acrescentou: "As fantásticas descobertas arqueológicas feitas este ano são exemplos-chave de como o ambiente histórico ajuda a nossa compreensão do passado, e temos o prazer de apoiar e promover o trabalho inestimável que está sendo realizado em toda a Escócia."


Dig It! anunciou eventos durante o ano, incluindo dezenas de escavações abertas ao público, graças aos passeios gratuitos com oportunidades de treinamento. O projeto é coordenado pela Sociedade de Antiquários da Escócia e financiado, principalmente, pela Historic Environment Scotland.


FONTE: The Scotsman

CAMPSIE, Alison. 5 of Scotland's most fascinating archaeological finds of 2019. The Scotsman. Edimburgo, 09 de dez. de 2019. Disponível em: <https://www.scotsman.com/heritage/5-of-scotland-s-most-fascinating-archaeological-finds-of-2019-1-5059624>. Acesso em: 10 de dez. de 2019. (Livremente traduzido pela Livros Vikings)


Seja uma das primeiras pessoas a receber as novidades do Mundo Viking, assinando a nossas newsletter ou adicionando-nos sem seu WhatsApp... Siga-nos nas Redes Sociais.


#viking #vikings #eraviking #medieval #arqueologia #escócia #vikingsnaescócia #livrosvikings

Parceiros:

Modelo Design é parceira da Livros Vikings
Denis Matyis é parceiro da Livros Vikings
Vila Viking Brasil é parceira da Livros Vikings
Walfenda é parceira da Livros Vikings
Hidromel Yggdrasill é parceira da Livros Vikings
O Mercado Viking é um parceiro Livros Vikings
UNIP Ourinhos é parceira da Livros Vkings
Nórdicos Estradeiros são um parceiro Livros Vikings

LIVROS VIKINGS

Av. Paulista 171, 4º andar, Bela Vista, São Paulo-SP, 01310-000

CNPJ: 35.663.864/0001-78 · IE: 128201172111

Prazo máximo de entrega: 30 dias (Brasil)

WhatsApp: +55 (11) 9-8263-4066

© 2019 por LIVROS VIKINGS. Orgulhosamente criado pela LV-SVO

Código de Defesa do Consumidor

  • RSS Livros Vikings
  • Spotify Livros Vikings
  • Deezer Livros Vikings
  • Facebook/livrosvikings
  • Instagram/livrosvikings
  • WhatsApp Livros Vikings
  • Livros Vikings no Google
  • Skoob Livros Vikings
  • Youtube Livros Vikings
  • LinkedIn Livros Vikings
0