Modelo Design - Escola de Arte
Modelo Design - Escola de Arte

CONFORME É APRESENTADO AO PÚBLICO, UM TESOURO VIKING TEM SEUS SEGREDOS REVELADOS

Especialistas desvendaram os fascinantes segredos de um tesouro da Era Viking — que será exibido ao público —, descoberto por um detector de metais.


Conforme é apresentado ao público, um tesouro viking tem seus segredos revelados
O Galloway Hoard

O tesouro do Século X conta com mais de 100 objetos, incluindo ouro, prata, joias, uma rara cruz anglo-saxônica e tecidos. Ele foi encontrado em um campo em Dumfries e Galloway em 2014 e adquirido pelo National Museums Scotland (NMS) em 2017.


Apoie a Livros Vikings...

A limpeza meticulosa, a conservação e uma pesquisa de ponta ao longo dos últimos anos revelaram as histórias de alguns dos objetos do tesouro, incluindo um recipiente exclusivo com tampa que estava envolto em tecidos, porém é muito frágil para fazer parte da exibição, no entanto, uma reconstrução 3D estará disponível.


Os modelos 3D, tirados de imagens de raios-X, permitiram aos pesquisadores verem por baixo dos tecidos que o escondiam por mais de 1.000 anos, dando-lhes um vislumbre da superfície decorada do recipiente, o qual apresenta leopardos, tigres e um altar de fogo zoroástrico.




O recipiente de prata dourada com tampa envolto em tecido que foi encontrado (Historic Environment Scotland/PA)

As decorações revelaram que, em vez de ser do Império Carolíngio (Sacro-Romano), como esperado, o trabalho em metal é da Ásia Central, enquanto a datação por radiocarbono do invólucro de lã data de 680-780 d.C., cerca de 200 antes do período viking.


O Dr. Martin Goldberg, curador principal de arqueologia e história medievais da NMS, disse: "Este é apenas o terceiro vaso de prata dourada e decorado que foi encontrado como parte de um tesouro da Era Viking no Reino Unido, e então deveríamos esperar para nos certificar que ele é como os outros dois.


Publique seu livro pela Livros Vikings Editora

“No entanto, o modelo 3D revela que o recipiente não é do Império Carolíngio (Sacro-Romano) da Europa continental, como esperávamos com base nos outros exemplares semelhantes. Em vez disso, a decoração e o design sugerem que se trata de uma peça de metal da Ásia Central, oriunda da outra metade do mundo conhecido.


“O que foi revelado é uma decoração diferente das outras duas, que foram feitas em um contexto cristão no império carolíngio, provavelmente em algum momento do Século IX d.C.


“O nosso recipiente, no entanto, tem um simbolismo não cristão e, particularmente, há um ícone central que é um altar de fogo zoroástrico, sendo o zoroastrismo a religião oficial do império sassânida, que ficava muito mais ao leste na Ásia central, no que era a Pérsia, hoje o Irã moderno. Há leopardos e tigres na vegetação gravada no recipiente e a coisa toda tem um simbolismo muito diferente”.


“Foi uma grande surpresa, realmente abriu esse quadro internacional”.


Uma reconstrução 3D do recipiente com tampa será exibida (Andrew Milligan/PA)

O Dr. Chris Breward, diretor da NMS, descreveu o tesouro como “provavelmente a descoberta mais significativa da Era Viking na Grã-Bretanha e Irlanda que conhecemos”.


A exposição será inaugurada no sábado, mostrando como o tesouro foi enterrado em quatro pacotes distintos — dois de barras de prata e um conjunto de quatro argolas em "fita" de prata, elaboradamente decoradas e amarradas, escondendo uma pequena caixa de madeira contendo três itens de ouro.


Aprenda sobre os vikings, lendo uma das obras disponíveis na Livremente Livros Vikings

O pacote final era um recipiente com tampa feito de prata dourada, envolto em camadas de tecido e cheio de objetos cuidadosamente embrulhados que parecem ter sido selecionados como relíquias ou heranças.


Eles incluem contas, pingentes, broches, pulseiras, um conjunto elaborado de cintos, uma jarra de cristal de rocha e outras curiosidades, muitas vezes amarradas ou embrulhadas em seda, bem como duas bolas misteriosas de sujeira contendo minúsculas partículas de ouro.


Não se sabe por que o tesouro, que tinha itens pertencentes a quatro proprietários, foi enterrado, embora eles normalmente fossem escondidos por pessoas sob ameaça ou estresse, que esperavam recuperá-los mais tarde.


A pesquisa sobre o tesouro encontrado pelo de