Modelo Design - Escola de Arte
Modelo Design - Escola de Arte

ARTISTA CONSTRÓI BARCO VIKING COM PAPELÃO E MAIS DE 20 KG DE COLA QUENTE PARA QUEIMÁ-LO EM "FUNERAL"

Depois de milhares de dólares e inúmeras horas trabalhando com cola quente e folhas de papelão, um artista terminou o seu navio Viking e queimou-o no chão.


FONTE: Springfield News-leader

Kyle Scheele, também um palestrante motivacional e autor, queria fazer algo grande para se despedir da década.


"Encontrei faz alguns anos a citação 'Você não tem obrigação de ser a mesma pessoa que era há cinco minutos' do filósofo britânico Alan Watts", disse Scheele."


"Conheci muitas pessoas ao longo do tempo, tipo 'Cara, eu quero fazer essa mudança na minha vida, mas não sinto que posso'", disse Scheele. "A verdade é que podemos absolutamente, mas sentimos que não. E se fizéssemos algum tipo de cerimônia para abandonar todas as coisas que nós não queremos mais carregar?"


Scheele disse que pensou sobre essa cerimônia.


"Um funeral, mas os funerais são deprimentes", contou Scheele. "Talvez um funeral viking."


Um funeral viking para quem costumávamos ser.


Estranhamente, este não foi o primeiro funeral viking de Scheele.


"Alguns anos atrás, eu fiz um funeral Viking pelos meus 20 anos, como uma piada", disse ele.


Aquele tinha 8 pés (2,43m) de altura e 16 pés (4,87m) de comprimento. O navio Viking de papelão que incendiou no últimmo 14 de dezembro tinha 16 pés (4,87m) de altura e cerca de 30 pés (9,14m) de comprimento.


"Pensei: 'Por que não fazer um funeral viking para as pessoas que costumávamos ser?'", Disse Scheele. "Comecei a pedir às pessoas que me enviassem coisas do passado que elas queriam deixar ir, e eu as colocaria em um navio Viking e as atordoaria".


Scheele recebeu mais de 20.000 respostas entre digitais e correio — leu quase todas. O tema mais comum dos arrependimentos das pessoas são o medo, a ansiedade e a depressão, disse ele.


"Há essas coisas que se repetem e por vezes", disse Scheele.


Antes da queimada, Scheele colou muitos dos arrependimentos escritos à mão na peça central do navio e algumas letras forradas de papelão, desenhadas pelo artista Bob Ewing, as quais que diziam "As pessoas que costumávamos ser". O resto estava amassado para serem acesas.


Construir um navio Viking de papelão não deixou de ter os seus próprios desafios. Por um lado, Scheele pensou que levaria apenas um ano para concluir o navio. Demorou dois anos e meio. Ele foi instruído a deixa-lo em dois armazéns às vezes, porque os proprietários queriam convertê-los em lofts. Ele ficou desanimado e se viu não indo trabalhar no navio por semanas seguidas.


"Houve momentos em que não entrei no armazém por um mês", disse Scheele. "Eu enviava meu cheque de aluguel e dizia: 'Por que continuo pagando por isso?'"


SoulPancake, um canal de histórias do YouTube, viajou para Rogersville para conhecer Scheele em outubro. Eles publicaram um vídeo de pré-visualização do navio Viking.


"Antes disso, ele ainda não parecia acabado", disse Scheele.


Após a entrevista, a peça central do navio desabou, disse ele. Scheele terminou de construir durante a semana do funeral, e com a ajuda de amigos.


"Foi uma jornada longa e difícil, mas estou feliz por ter feito isso"


No início de 14 de dezembro, Scheele, junto com amigos e familiares, iniciou o árduo processo de transportar o navio gigante de papelão com um reboque de onde estava armazenado para um campo a alguns quilômetros de distância.


A caravana de veículos fez quatro viagens para as letras, cabeça, centro e ca