• Livros Vikings

ARQUEÓLOGOS IDENTIFICAM UMA CAVERNA ANGLO-SAXÔNICA PRÓXIMA DE LOCAL DE INTENSA ATIVIDADE VIKING

Uma residência anglo-saxã quase completa, que se acredita datar do início do Século IX, foi descoberta em Derbyshire.


Arqueólogos identificam uma caverna anglo-saxônica próximo de local de intensa atividade viking

Apoie a Livros Vikings...

As cavernas, que foram escavadas na rocha de arenito, há muito eram consideradas como pertencentes ao Século XVIII.


No entanto, um novo estudo demonstrou que as cavernas têm mais probabilidade de serem do início da Idade Média.


Arqueólogos do recém-formado Instituto de Patrimônio Cultural da Universidade Real de Agricultura (RAU), em conjunto com os colegas da Wessex Archaeology, realizaram uma pesquisa detalhada das cavernas da Igreja Anchor de grau II entre Foremark e Ingleby no sul de Derbyshire.


O interior mostra as primeiras portas e pilares que sobreviveram, além ds paredes parcialmente derrubadas no Século XVIII (Edmund Simons / RAU)

Edmund Simons, principal investigador do projeto e pesquisador da RAU, disse: “Nossas descobertas demonstram que este estranho prédio escavado na rocha em Derbyshire é provavelmente do Século IX e não do Século XVIII, como todos pensavam originalmente.


Publique seu livro pela Livros Vikings Editora

“É provavelmente o interior doméstico mais intacto e antigo do Reino Unido — com portas, piso, telhado, janelas etc. — e, além disso, pode muito bem ter sido habitado por um rei que se tornou santo.


“Usando medições detalhadas, drones e um estudo arquitetônico, foi possível reconstruir a planta original de três quartos e um oratório, ou capela, voltado ao leste com três absides.”


Os pesquisadores dizem que as portas e janelas estreitas dos quartos da residência se assemelham à arquitetura saxônica.


Enquanto um pilar escavado na rocha é semelhante aos encontrados na cripta saxônica das proximidades de Repton, o qual se acredita ter sido concluído pelo Rei Wiglaf da Mércia — um reino nas Midlands inglesas dos Século VI ao X — de 827 d.C. até sua morte em 839.


Cavernas, como as da Igreja Anchor, são frequentemente associadas aos eremitas ou anacoretas medievais anônimos.


No entanto, os pesquisadores dizem que, neste caso, há uma associação lendária entre as Cavernas da Igreja Anchor e Saint Hardulph.


Um fragmento de livro impresso do Século XVI afirma que naquela época “São Hardulph tinha uma cela em um penhasco”, e o folclore local identifica que essas cavernas são as que Hardulph ocupava.


A cripta saxônica da Igreja de Repton (Mark Horton / PA)

Os estudos modernos identificaram Hardulph com o Rei Eardwulf, que foi deposto como rei da Nortúmbria em 806 d.C.


Hardulph morreu por volta de 830 e foi enterrado em Breedon on the Hill em Leicestershire, a apenas cerca de 8km das cavernas.


Acredita-se que algumas das esculturas sobreviventes da Igreja de Santa Maria e São Hardulph da vila, que foi fundada como um mosteiro no Século VII, vieram de seu santuário.


Simons disse: “As semelhanças arquitetônicas com os edifícios saxões e a associação documentada com Hardulph/Eardwulf mostram que essas cavernas foram construídas, ou ampliadas, para abrigar o rei exilado.


“Não era incomum que a realeza destituída ou aposentada assumisse a vida religiosa durante esse período, ganhando santidade e, em alguns casos, canonização.


Aprenda sobre os vikings, lendo uma das obras da Livraria Livros Vikings

“Viver em uma caverna como um eremita teria sido uma maneira de conseguir isso.


“Essas cavernas muitas vezes foram esquecidas pelos historiadores, mas podem ser a única construção doméstica intacta do período saxão.


“Este projeto identificou até agora mais de 20 outros locais em West Midlands que podem datar do Século V”.


A área ao redor da vila próxima de Repton era o local de intensa atividade Viking e, logo após a morte de Hardulph, os Vikings montaram um acampamento de inverno em Repton.


Os arqueólogos acreditam que as cavernas podem ter sido modificadas no Século XVIII, incluindo a adição de alvenaria e caixilhos de janelas, além da abertura de algumas das paredes para que senhoras bem vestidas pudessem passar.


Mark Horton, professor de arqueologia da RAU que também está realizando escavações de vestígios de vikings e anglo-saxões em Repton, disse: “É extraordinário que construções domésticas com mais de 1.200 anos sobrevivam à vista de todos, ainda que não reconhecidas anteriormente por historiadores, antiquários e arqueólogos.


“Estamos confiantes de que outros exemplos ainda serão descobertos para dar uma perspectiva única sobre a Inglaterra anglo-saxônica.”


Os resultados foram publicados no periódico Proceedings of the University of Bristol Spelaeological Society.


FONTE: Anglotopia

ARCHAEOLOGISTS identify ninth century anglo-saxon cave house in Derbyshire. Anglotopia. Chicago, 15 de jul. de 2021. Disponível em: <https://anglotopia.net/british-history/anglo-saxon/archaeologists-identify-ninth-century-anglo-saxon-cave-house-in-derbyshire/>. Acesso em: 16 de jul. de 2021. (Livremente traduzido pela Livros Vikings)


Seja uma das primeiras pessoas a receber as novidades do Mundo Viking, assinando a nossa Newsletter ou adicionando-nos em seu WhatsApp... Siga-nos nas Redes Sociais.


#viking #vikings #eraviking #medieval #cavehouse #anglo #anglosaxão #derbshire #inglaterra #vikingsnainglaterra #livrosvikings

Posts recentes

Ver tudo