• Livros Vikings

A CIVILIZAÇÃO VIKING NA GROENLÂNDIA ENTROU EM COLAPSO NOS ANOS DE 1400 POR CONTA DAS MORSAS

Os noruegueses exilados da Islândia navegaram às margens da Groenlândia no Século X e sobreviveram graças ao marfim de uma espécie única de morsa da ilha.


FONTE: Daily Mail

O precioso material foi comercializado em toda a Europa em troca de madeira e ferro, permitindo aos vikings prosperar em sua casa desolada.


Mas, tão rápido quanto chegaram à ilha do Oceano Atlântico, todos os sinais de ocupação desapareceram no Século XV.


Agora, os especialistas acreditam que a sua propensão a caçar morsas foi a sua derrocada, pois forçaram a espécie a extinção, destruindo sua fonte de renda.


Os nórdicos se estabeleceram na Groenlândia em 950 a.D., depois que Erik, o Vermelho foi exilado.


A essa altura, muitas das morsas nativas da Islândia já haviam sido caçadas até a extinção pelos vikings, e os novos habitantes da Groenlândia haviam inadvertidamente tropeçado no próximo campo de caça.


“Nossa história começa onde termina a história da Islândia. Na Islândia, existem achados de morsas nos locais mais antigos da Era Viking '', diz James Barrett, um acadêmico da Universidade de Cambridge que liderou o estudo sobre o desaparecimento dos vikings da Groenlândia.


'Mas depois, eles são descritos como uma raridade. Pesquisas anteriores mostram que a população de morsas na Islândia foi caçada até o esgotamento rapidamente após o acordo com os Vikings.


E parece que os vikings não aprenderam com as lições da Islândia, pois um novo estudo publicado na revista científica Quaternary Science Reviews revela que o mesmo aconteceu na Groenlândia.


O fim do povo nórdico na Groenlândia foi exatamente o que os ajudou a prosperar - caçando marfim de morsa.


Os acadêmicos das universidades de Cambridge, Oslo e Trondheim descobriram que quase todo o marfim comercializado na Europa nos tempos medievais vinha das morsas da Groenlândia.


Depois que a Islândia massacrou suas próprias populações de morsas, a Groenlândia foi, durante séculos, a única fonte do valioso material.


Os assentamentos nórdicos na região sudoeste da ilha detinham o monopólio do material, que estava em voga em toda a Europa.


Mas, à medida que a demanda subiu para o material, a oferta foi diminuindo e os vikings fogarm mais ao norte em busca dos animais dos quais eram excessivamente dependentes.


No auge, o marfim da morsa era uma mercadoria medieval valiosa, usada para esculpir itens de luxo, como crucifixos ornamentados ou o jogo viking hnefatafl.


As famosas peças de xadrez Lewis são feitas de bolota de morsa. Eles mostram como o efeito marmorizado do marfim pode ser esculpido em vários artefatos.


Pensa-se que os xadrezes tenham sido feitos em Trondheim pouco antes de 1200 d.C. e descobertos na década de 1830 na ilha de Lewis, nas Hébridas Exteriores da Escócia.


Os cientistas não desejavam destruir as presas raras, analisando partes do crânio da morsa juntas às presas.


Um total de 67 desses fragmentos de crânio, conhecidos como rostra, foram retirados de locais em toda a Europa, datando entre os Séculos XI e XV.


DNA antigo (25 amostras) e isótopos estáveis (31 amostras) extraídos das amostras de ossos forneceram pistas sobre o sexo e a origem dos animais, revelando que os vikings estavam desesperados por marfim e suas jornadas se tornavam mais longas, mais árduas e menos frutíferas, à medida que o número de morsas masculinas maduras diminuía.


Os cientistas descobriram que os caçadores deixaram de caçar machos grandes e se contentaram com fêmeas e animais menores.


Para agravar a miséria dos guerreiros pagãos, a mudança de moda e o mercado emergente de marfim de elefante acarretaram um rápido declínio na demanda de marfim de morsa no Século XV.


O Dr. James Barrett disse: 'O marfim da morsa era muito popular e valioso, especialmente no início da Idade Média, principalmente para uso na arte românica.


"Mas, mais tarde, nos anos 1200, houve uma mudança na popularidade de morsas para presas de elefante na época em que a arte gótica se desenvolveu."


Com essa grande artéria financeira cortada, a habitação de longo prazo da Groenlândia foi forçada a um fim abrupto, acreditam agora os acadêmicos.


Sem alavancar negócios com a Europa, a Groenlândia foi abandonada após o que os pesquisadores estão chamando de 'tempestade perfeita'.


O Dr. James Barrett acrescentou: 'Os nórdicos da Groenlândia precisavam trocar com a Europa ferro e madeira, e tinham principalmente produtos de morsa para exportar em troca.


“Suspeitamos que valores decrescentes de marfim de morsa na Europa significaram que mais e mais presas foram colhidas para manter as colônias da Groenlândia economicamente viáveis.


“A caça em massa pôde acabar com o uso dos locais tradicionais (nativos) do transporte puxado por morsas.


“Nossas descobertas sugerem que os caçadores nórdicos foram forçados a se aventurar mais profundamente no Círculo Polar Ártico para colheitas de marfim cada vez mais escassas.


"Isso teria exacerbado o declínio das populações de morsas e, consequentemente, as sustentadas pelo comércio de morsas."


Pensa-se que a falta de morsas não foi a única questão, mas pelo menos teve um papel significativo na retirada dos Vikings da Groenlândia.


Outras teorias do colapso da civilização incluem mudanças climáticas com o início da 'Pequena Era do Gelo', agricultura insustentável e o surgimento da Peste Negra.


“Uma dependência excessiva do marfim de morsa não foi o único fator no desaparecimento dos nórdicos da Groenlândia. No entanto, se a população e o preço da morsa começaram a cair, isso deve ter prejudicado gravemente a resiliência dos assentamentos'', afirma o coautor Bastiaan Star, da Universidade de Oslo.


"Nosso estudo sugere que a escrita estava na parede."



COMO OS VIKINGS ATINGIRAM A GROENLÂNDIA?

A morte de Carlos Magno deu vida ao tesouro Viking emergente.


Eles estavam se tornando proeminentes no final de suas rédeas e ele comentou, após derrotá-los em uma batalha, que eles estavam "sobrecarregados de tristeza enquanto eu olhava para frente, e via o que os males [os nórdicos] trarão aos meus filhos e seu povo".


A previsão do dia do juízo final era assustadoramente precisa e, usando seus longos e estreitos barcos, chegaram às margens da maior parte da Europa.


Logo, sua natureza violenta e suas proezas de luta deram a eles controle significativo da maior parte da Europa.


Antes do ano 900 d.C., os vikings invadiram partes da Escócia e Northumbria, se espalharam pela Rússia (no leste) e pelo mar Negro (no sul).


O ataque a Constantinopla, o então centro do Império Bizantino, não deu certo, mas suas regiões vizinhas foram dizimadas.


No final do Século X, os vikings colonizaram e se estabeleceram na Islândia, uma paisagem tão violenta e imprevisível quanto as pessoas que a chamavam de lar.


Erik, o Vermelho, filho do exilado Thorvald Asvaldsson, foi enviado à Groenlândia para viver após seu envolvimento em alguns assassinatos ilegais.


Ele foi dali em diante conhecido como o fundador da nação.


Pensa-se agora que uma espécie única de morsa vivia na ilha, mas foi caçada até a extinção pelos vikings.


FONTE: Daily Mail

PINKSTONE, Joe. Viking civilisation in Greenland collapsed in the 1400s after the Norsemen hunted WALRUSES to extinction for their ivory tusks. Daily Mail. Londres, 06 de jan. de 2020. Disponível em: <https://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-7857227/Viking-civilisation-Greenland-collapsed-hunting-walruses.html>. Acesso em: 07 de jan. de 2020. (Livremente traduzido pela Livros Vikings)


Seja uma das primeiras pessoas a receber as novidades do Mundo Viking, assinando a nossa Newsletter ou adicionando-nos em seu WhatsApp... Siga-nos nas Redes Sociais.


#viking #vikings #eraviking #medieval #gronland #greenland #groenlândia #vikingsgroenlandeses #livrosvikings

Parceiros:

Modelo Design é parceira da Livros Vikings
Denis Matyis é parceiro da Livros Vikings
Vila Viking Brasil é parceira da Livros Vikings
Walfenda é parceira da Livros Vikings
Hidromel Yggdrasill é parceira da Livros Vikings
O Mercado Viking é um parceiro Livros Vikings
UNIP Ourinhos é parceira da Livros Vkings
Nórdicos Estradeiros são um parceiro Livros Vikings

LIVROS VIKINGS

Av. Paulista 171, 4º andar, Bela Vista, São Paulo-SP, 01310-000

CNPJ: 35.663.864/0001-78 · IE: 128201172111

Prazo máximo de entrega: 30 dias (Brasil)

WhatsApp: +55 (11) 9-8263-4066

© 2019 por LIVROS VIKINGS. Orgulhosamente criado pela LV-SVO

Código de Defesa do Consumidor

  • RSS Livros Vikings
  • Spotify Livros Vikings
  • Deezer Livros Vikings
  • Facebook/livrosvikings
  • Instagram/livrosvikings
  • WhatsApp Livros Vikings
  • Livros Vikings no Google
  • Skoob Livros Vikings
  • Youtube Livros Vikings
  • LinkedIn Livros Vikings
0